Tabagismo acelera o declínio mental em homens






Um estudo realizado pela University College London (Inglaterra) aponta que os homens que fumam tendem a ter um declínio mental mais rápido do que não fumantes. Os cientistas analisaram dados de quase 6.000 homens e mais de 2.100 mulheres que eram funcionários públicos britânicos. 

Para medir as capacidades de raciocínio, os participantes passaram pela primeira avaliação mental na meia-idade, com uma idade média de 56 anos, e mais duas vezes ao longo de uma década. Os testes eram de memória, vocabulário e raciocínio (verbal e matemática). 

Além dessa análise, os pesquisadores observaram os históricos de tabagismo dos participantes por um período de 25 anos e ainda como estava o hábito no momento atual, incluindo paradas e recaídas. Como resultado, um declínio mental mais rápido foi observado em homens de meia-idade que fumam atualmente do que os homens que nunca o fizeram. 

 Os homens que haviam acabado de cessar o tabagismo tinham maior declínio das funções cerebrais do que aqueles que nunca fumaram. Os indivíduos, porém, que não fumavam há pelo menos uma década, tiveram um declínio mental semelhante aos que nunca tiveram o vício. Por isso, os cientistas suspeitam que os efeitos negativos do tabagismo sobre a memória e as habilidades de pensamento podem desaparecer cerca de dez anos após o fim desse mau hábito.

Essa ligação entre cigarro e problemas mentais, porém, não foi encontrada entre as mulheres. Uma explicação para o fato é que mulheres não fumam tantos cigarros por dia quanto os homens. Além disso, pessoas do sexo masculino tendem a fumar por mais tempo durante a vida, além de terem com maior frequencia o hábito de ingerir bebidas alcoolicas.  

Não é surpresa que o tabagismo está ligado a taxas mais rápidas de declínio das funções cerebrais. O tabagismo é um fator de risco para demência e também aumenta os riscos de doença cardíaca e pulmonar, dois problemas de saúde associados a dificuldades de memória. Os pesquisadores enfatizam a importância de a análise dos fatores de risco para o declínio mental começar muito mais cedo no curso da vida. 

Confira dicas infalíveis para parar de fumar

Evite locais com muitos fumantes

A psicóloga Laura de Hollanda Batitucci Campos, das Clínicas Oncológicas Integradas (COI) explica que, da mesma forma que uma pessoa em dieta deve evitar um restaurante com pratos principais muito calóricos, quem deseja largar o cigarro precisa se afastar de lugares com muitos fumantes. Ela sugere ainda evitar consumir bebidas alcoólicas, já que beber está intimamente ligado ao hábito de fumar. 

Quebre a rotina

Para grande parte dos tabagistas, fumar é parte de uma rotina. Alguns fumam logo ao acordar enquanto tomam uma xícara de café. Por isso, para enganar a vontade de fumar, é fundamental quebrar esses hábitos. "Mude o local da refeição, varie os pratos e as horas das suas atividades", aconselha Maria Teresa Cruz Lourenço, coordenadora do grupo de apoio ao tabagista do Hospital do Câncer. 

Busque apoio da família e de amigos

Tentar envolver amigos e familiares na luta contra o tabagismo pode tornar a tarefa de abandonar o cigarro muito mais fácil. 

Não desenvolva outro vício

De acordo com a psicóloga Maria Teresa, o cigarro funciona como uma válvula de escape da ansiedade para a maioria dos fumantes. Por isso, parar de fumar é resolver apenas parte do problema. Por isso, busque ajuda para não desenvolver outro hábito pouco saudável. 

Sempre tente mais uma vez

"Recaídas significam apenas que a tentativa seguinte será menos penosa", incentiva Maria Teresa. Segundo ela, estar familiarizado com as principais sensações da abstinência deixa o ex-fumante mais tranquilo e bem preparado. Além disso, o cigarro pode ser abandonado a qualquer momento. "Não importa se você tem 20 ou 80 anos, pode começar uma vida sem cigarro quando quiser.?




Tabagismo acelera o declínio mental em homens Tabagismo acelera o declínio mental em homens Editado por saude.chakalat.net on 03:44 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.