Leis antitabaco reduzem número de fumantes e mortes no Brasil





 Foto: Getty Images

As taxas de tabagismo no Brasil caíram quase pela metade nas últimas duas décadas graças ao rigor de políticas antitabaco. É isso que afirma um estudo desenvolvido por pesquisadores brasileiros e norte-americanos, publicado na revista PLOS Medicine desta semana. O Brasil introduziu o imposto específico para cigarro em 1990, depois determinou restrições a propagandas de cigarros, colocou advertências nas embalagens e iniciou políticas antifumo a partir de 1996.

Como resultado, o País teve uma redução de 46% no número de fumantes entre 1989 e 2010. De acordo com os pesquisadores do Centro de Câncer Lombardi Comprehensive, da Universidade Georgetown, em Washington, Estados Unidos, e do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a redução não conseguiria ser tão elevada sem esse tipo de política.

Usando o modelo da pesquisa Brazil SmokeSim, os autores do estudo descobriram que quase metade dessa redução de 46% de fumantes veio do aumento de preços, 14% das leis antifumo, 14% das restrições de propaganda, 8% das advertências à saúde, 6% das campanhas antitabagismo promovidas na mídia e 10% dos programas de tratamentos que ajudam o paciente a deixar o fumo.

Além disso, os autores estimam que as políticas antitabaco evitaram cerca de 420 mil mortes relacionadas ao cigarro. Em uma projeção para 2050, até 7 milhões de mortes seriam evitadas. E com políticas ainda mais restritivas, como um aumento da taxa de imposto, esse número poderia ser ainda maior. "O Brasil oferece uma das notáveis histórias de sucesso de saúde pública na redução de mortes devido ao fumo, e serve como um modelo para outros países de baixa e média renda. No entanto, um conjunto de políticas mais rigorosas poderia reduzir mais o tabagismo e salvar ainda mais vidas", defendem os autores do estudo.





Leis antitabaco reduzem número de fumantes e mortes no Brasil Leis antitabaco reduzem número de fumantes e mortes no Brasil Editado por saude.chakalat.net on 11:45 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.