Monitoramento e fim da dependência do tabagismo







De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo. Estima-se que um terço da população mundial adulta, isto é, 1,2 bilhão de pessoas sejam fumantes.

Dentro deste cenário, a professora do Departamento de Enfermagem da Unicentro, Fátima Martinez Slomp, percebeu a importância de inserir acadêmicos nesse contexto, para que pudessem visualizar a realidade e necessidades dos usuários frente a dependência do tabaco e, também, apresentar a importância do acolhimento e otimização do tratamento para a cessação do tabagismo.

Assim, em primeiro de março de 2012, teve início o projeto de pesquisa intitulado “Monitoramento dos pacientes dependentes do tabaco frequentadores do Programa Municipal de Combate ao Tabagismo”, em Guarapuava.

O município possui uma unidade de saúde do SAE (Serviço de Assistência Especializada), onde mantém o Programa Municipal de Combate ao Tabagismo. No local são realizadas reuniões para os dependentes do tabaco que buscam dar um fim no tabagismo, o que auxiliou na coleta de dados para a pesquisa.

O objetivo geral do projeto, nos dois primeiros anos, é realizar um levantamento dos fumantes encaminhados pelas unidades de saúde dos diversos bairros, bem como mapear o número e perfil dos participantes.

Em um segundo momento, a proposta é levar informação sobre o tema na forma de um instrumento de fácil acesso e convidativo à leitura para o jovem estudante. Assim, surgiu a ideia de elaboração da “Agenda Pró-saúde”, que se encontra em fase de editoração.

Durante o andamento da pesquisa, foram contabilizados 228 pacientes encaminhados pelas unidades de saúde espalhadas pela cidade. Deste total, 76% são mulheres e a faixa etária mais evidentefoi entre 31 a 50 anos, para os dois gêneros.

Após a aplicação do teste de abordagem, mais da metade dos pacientes (74%) apresentaram depressão, seja ela leve, moderada ou grave. Quanto à dependência, 28% apresentaram grau médio, com consumo de 10 a 24 cigarros por dia.

No decorrer do período, foram realizadas 3,9 mil consultas entre os profissionais da equipe (médico, enfermeira, nutricionista e fisioterapeuta).

Após os atendimentos e o monitoramento dos pacientes houve a cessação do tabaco em 48% dos casos, número acima do verificado pelo Ministério da Saúde e Instituto Nacional do Câncer (Inca), que indicam que a cessação do tabaco é de 38 a 40% no Brasil.

Monitoramento e fim da dependência do tabagismo Monitoramento e fim da dependência do tabagismo Editado por saude.chakalat.net on 04:57 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.